(81) 3628-8950 - (81) 3628-0060 - SAC 0800-9703039 sac@lapon.com.br

 

QUAL A RELAÇÃO DO CORTISOL COM O ESTRESSE?

Muito tem se discutido sobre a associação do estresse e do cortisol, mas você realmente sabe qual a associação e consequências desse sinergismo?

O estresse é uma condição de tensão, estado de alerta do organismo. Esse estado está relacionado as demandas e desafios diárias relacionados até três jornadas diárias enfrentadas por boa parte dos indivíduos.

Por definição o estresse é uma reação psicofisiológica complexa desencadeada por eventos bioquímicos, frente a estressores ou desafios de origens variadas; Tal reação ocorre no sentido do organismo se defender ou resistir às possíveis alterações da sua homeostasia interna, a partir da ação de estressores aversivos ou agressivos.

Quando o cérebro registra uma ameaça, ele aciona o sistema nervoso simpático, ramos nervosos que correm ao lado da medula espinhal. A reação é o aumento da produção de cortisol e adrenalina pelas glândulas suprarrenais, os batimentos cardíacos e a respiração aceleram, a pressão sobe e os músculos se contraem.

O estresse pode ser classificado, segundo Troch (1982 em: “eustress” e “distress”.O prefixo “eu” vem do grego e significa ‘bem’ de boa constituição. O “eustress” exerce, no organismo, uma função protetora. Enquanto o prefixo “dis” vem do grego dys e em português “dis”, significa “imperfeição”, “má estado”, “defeito”. A palavra distresse é considerada o estresse nocivo

O grau de resistência ao estresse dependerá dos pontos mais vulneráveis da pessoa quer física ou psíquica, a característica hereditária no caso é determinante. Algumas consequências que o distresse pode ocasionar:

  • Distresse Cerebral: fadiga, dores, choro convulsivo, depressão, ataques de angustia, ansiedade ou ataque de pânico, insônia.
  • Distresse Gastrintestinal: úlceras, cólicas, diarréia, colite, gastrite.
  • Distresse Cardiovascular : hipertensão, enfarto, taquicardia, embolia.

 

Um estudo publicado por Nejtek e colaboradores (2002) analisou a presença do cortisol como resultado de alterações emocionais, causadas por exposição a agentes estressores. Na correlação feita entre as metodologias utilizadas na pesquisa, foi possível afirmar que a presença de cortisol tem relação com o estresse.

O QUE É, E COMO O CORTISOL PODE PREJUDICAR A SAÚDE?

De acordo com a literatura, o cortisol (hidrocortisona, composto F) é o glicocorticoide mais potente produzido pelo córtex adrenal humano é responsável por aproximadamente 95% de toda a atividade glicocorticoide do organismo. Assim como os demais esteroides adrenais, o cortisol é sintetizado a partir do colesterol através de uma série de etapas mediadas enzimaticamente.

O cortisol é conhecido por estimular a gliconeogênese  (rota pela qual é produzida glicose a partir de compostos não-açúcares ou não-carboidratos) para garantir um suprimento adequado de substrato; aumentar a mobilização de ácidos graxos livres, tornando -os mais disponível como fonte energética; diminuir a utilização de glicose, poupando-a para o cérebro; estimular o catabolismo proteico para liberar aminoácidos para o uso na reparação, na síntese de enzimas e na produção de energia; atuar como um agente anti-inflamatório; e aumentar a vasoconstrição causada pela adrenalina.

A produção de cortisol tem um ritmo de produção ACTH (hormônio pituitário adrenocorticotrófico) dependente de ritmo circadiano com níveis de pico pela manhã e à noite. O ritmo circadiano da secreção de ACTH/cortisol se estabelece gradualmente durante o início da infância, e está separado em vários processos físicos e psicológicos. Além disto, aumentos de ACTH e cortisol podem acontecer independentemente do ritmo circadiano em resposta a estresse físico e psicológico.

QUAIS MEDIDAS DEVEMOS TOMAR PARA AMENIZAR O ESTRESSE?

Deve-se avaliar o quanto o estresse está comprometendo a saúde física e emocional. Quanto ao desequilíbrio bioquímico e sinais inflamatórios é preciso adotar medidas, muitas vezes, farmacológica para reverter os sinais e sintomas relacionados ao estresse.

As medidas não-farmacológicas são fundamentais para manter a homeostase sistêmicas. O consumo de produtos naturais para combater a ansiedade e o estresse são indispensáveis para diminuir as substâncias toxicas formadas pelo aumento cortisol. A prática de atividade física e uma alimentação saudável também são primordiais para combater as altas concentração desse glicocorticoide.

Entre os compostos naturais para combater a insônia e ansiedade da nossa linha de suplementos e alimentos destacamos a Água de Flor de Laranjeiras; Preparo Líquido Aromatizado sabor Flor de Laranjeira, com óleo essencial da Flor de Laranjeira, que auxilia no alívio dos sintomas da insônia e ansiedade.Vale ratificar que para os sinais e sintomas mais graves relacionados ao estresse, consulte seu médico.

 

Referência

Disponível em: < https://www.maisqueperfeita.com.br/artigos/cortisol-o-hormonio-do-stress-das-inflamacoes-e-do-sobrepeso> . Acesso em: 12 mai. 2017.

KELLER, Birgit. Estudo comparativo dos níveis de cortisol salivar e estresse em atletas de luta olímpica de alto rendimento. 2007.

PAULINO, Célia Aparecida; PREZOTTO, Andrea Oriani; CALIXTO, Rosilene Farias. Associação entre estresse, depressão e tontura: uma breve revisão. Revista Equilíbrio Corporal e Saúde, v. 1, n. 1, 2015.

Para mais esclarecimentos consulte sempre seu farmacêutico.